Das (di)vagações que faço no espaço que nunca me pertenceu de verdade

7 de outubro de 2016 - 6a.feira, Daniela Lusa, Vagando

Vago sem rumo

A esmo

Em território sem dono

E que tampouco pertence a mim.

Não sei onde estou,

Como cheguei.

Estou comigo só e sem ninguém.

É tudo vago, perdido.

Não vejo o Sol

Nem a Lua

Nem a mim.

Onde estou, afinal?

Perdida no sentimento que eu

Já não conheço mais,

Vagando no espaço que nunca me pertenceu

De verdade:

Sou uma estranha nesse seu amor.

Daniela Lusa

Daniela Lusa

Posts Twitter

Às vezes, eu não sei o que quero. Outras vezes, eu sei o que não quero. Sempre quis ser professora por sonho, hoje sou por paixão. Da faculdade de Letras, nasceu o amor pelas palavras, pelos textos. Busco fuga nas palavras porque vivo cercada pelo silêncio, aqui dentro de mim. Escrevo para não sufocar. O problema é que, às vezes, o que sinto é intransponível em palavras.

Seja o primeiro

Seja o primeiro a iniciar uma conversa.

Deixe uma resposta

Text formatting is available via select HTML. <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*