Me diz

6 de dezembro de 2013 - 6a.feira, Bem que se quis, Daniela Lusa

Meu bem, eu te quis.

E como eu te quis. Tentei, fiz de tudo para te fazer feliz. Desenhei meus passos junto aos seus, tracei planos que se cruzavam com os seus, tive tantos sonhos contigo mas você me acordou e isso doeu. Seu adeus me dilacerou e eu sangrei todos os dias, parecia que eu fosse morrer e não morria, eu precisava viver mas não vivia, eu queria te sentir e não podia. O que acontece com as palavras que nunca são ditas,

o que foi que eu te fiz?

E quando eu curei minhas feridas e cicatrizei suas lembranças, quando eu me refiz sem os pedaços que você levou de mim, eis que você volta e me desconstrói de novo e abre minhas cicatrizes e me faz sangrar como antes me fez e eu penso que vou morrer toda vez que você me toca, me olha, me abraça, me fala, eu quase morro,

por um triz.

Você me bagunça de um jeito que fica difícil organizar, não consigo me achar, não sei mais o que pensar. Você chega perto de mim e o seu tom me descompassa e me balança e eu tropeço nas minhas certezas que se misturam com as suas lembranças e eu caio de cara na saudade e me perco no meio da nossa confusão. E é então que eu percebo que ainda te quero, que eu sempre te quis mesmo quando eu jurei pra mim que não mais te queria, mesmo quando eu lhe disse que tudo bem, que passou, que chega, que acabou.

Te quero mais do que sempre quis.

E eu entendo que não adianta fugir porque meus caminhos são sem saída, me sinto presa a você. Quem foi que marcou no meu destino os passos seus? Não sei, moço, só quero ser feliz. E você, o que quer de mim?

Me diz, meu bem, me diz.

Daniela Lusa

Daniela Lusa

Posts Twitter

Às vezes, eu não sei o que quero. Outras vezes, eu sei o que não quero. Sempre quis ser professora por sonho, hoje sou por paixão. Da faculdade de Letras, nasceu o amor pelas palavras, pelos textos. Busco fuga nas palavras porque vivo cercada pelo silêncio, aqui dentro de mim. Escrevo para não sufocar. O problema é que, às vezes, o que sinto é intransponível em palavras.

13 respostas para Me diz

  1. Uau….!!! Uffff…

  2. há mt tempo não me emocionava tanto e ficava tão mexida com um texto. Perfeito..e p mim, cara, providencial! Belas palavras. Obrigada.

  3. Nunca vou me cansar de procurar consolo em suas palavras, embora você escreva tudo aquilo que eu tentei dizer e ficou preso na garganta. Você arrasa! Sem mais.

    • Que minhas palavras lhe transmitam a paz que eu não sinto, Ju. Espero sempre poder abrigar suas dores no desabafo das minhas. Muito obrigada por me dizer isso.

  4. Dessa vez seu texto aquietou muitos sentimentos aqui Daniela. Eu saí de mim.
    Vi-me abraçado, envolvido e afagado por suas palavras, como sempre, desde a primeira vez que as li.
    Aliás, como não se deixar tocar por elas, sempre tão distintas no que dizem e inflamantes em como dizem?
    Que lindeza Daniela!
    Que lindeza!
    Não me canso de dizer isso toda vez que leio seus textos: Que lindeza!
    Um abraço.

    • Engraçado, aquietei em ti sentimentos que gritam aqui dentro de mim.
      Como é bom e contraditório poder abraçar com palavras, traduzir sentimentos que não entendo, transmitir a paz que eu não sinto.
      Lindeza são seus comentários, Arthur. Obrigada por ler, por sentir e, sobretudo, por me dizer.

      Abraço!

  5. Tudo aquilo que está preso aqui dentro! Você é demais Dani!

Deixe uma resposta

Text formatting is available via select HTML. <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*