Das coisas que eu queria explicar

15 de novembro de 2013 - 6a.feira, Daniela Lusa, Something

Eu não sei como explicar, mas vou tentar. Acho que foi o seu olhar — tão bonito, tão marcante, tão forte a ponto de prender o meu. Pode ter sido o seu sorriso — tão sincero, tão bem desenhado, tão radiante a ponto de me tontear. Ou foi o seu jeito — tão tímido, tão rápido, tão desajeitado a ponto de me desajeitar também. Na verdade, foi o seu abraço — tão forte, tão bom, tão imenso que me fez perder a noção de mim. Não sei, moço, eu não sei exatamente o que me prendeu a você. Só sei que agora estou aqui, presa, imóvel — e sem pressa de sair. Deixa eu morar no seu abraço? Rabisco seu nome nas minhas incertezas, desenho seus olhos na minha saudade, vejo o seu sorriso em todos os cantos da minha calmaria. Acho que você combina com o meu caos. Será que você pode me organizar? Vejo a imagem de nós dois que vai dançando na minha mente desde que acordo até a hora de dormir, isso quando não aparece nos meus sonhos. O que isso significa? Você sabe me dizer? Será que você nos vê também? Eu não sei mais o que escrever para explicar o que sinto por você, moço, porque você me deixa confusa. Como explicar o que nem eu entendo? É tudo meio estranho desde que te conheci, não estou me reconhecendo. Não sei mais o que estou sentindo, não sei mais o que estou dizendo, não sei. Mas esteja por perto quando eu descobrir. Do amanhã? Não consigo prever. Do amor? Não sei dizer. De nós? Não sei o que vai ser. Quer fazer parte das minhas confusões? Ainda não sei que lugar você ocupa no meu espaço. Eu só quero saber o que você fará comigo quando eu estiver em você. Faça alguma coisa, moço, porque eu não sei o que fazer com você em mim. 

Daniela Lusa

Daniela Lusa

Posts Twitter

Às vezes, eu não sei o que quero. Outras vezes, eu sei o que não quero. Sempre quis ser professora por sonho, hoje sou por paixão. Da faculdade de Letras, nasceu o amor pelas palavras, pelos textos. Busco fuga nas palavras porque vivo cercada pelo silêncio, aqui dentro de mim. Escrevo para não sufocar. O problema é que, às vezes, o que sinto é intransponível em palavras.

20 respostas para Das coisas que eu queria explicar

  1. Deixa eu morar no seu abraço?
    Ai, ai que lindeza!

  2. Dani, minha amoura. Que texto, tão lindo, tão perfeito, tão arrepiante. Você, como sempre arrasando, e eu amando cada vez mais essas palavras que me encantam. “Eu só quero saber o que você fará comigo quando eu estiver em você. Faça alguma coisa, moço, porque eu não sei o que fazer com você em mim.” É, bem assim. Cheiros, pequena!

    • Tami, você é um amor. Essa angústia que sente não merece morar em você. Te quero bem. E fico feliz por poder te tocar com o que escrevo. Ainda bem que as palavras desconhecem a distância. Um beijo!

  3. Dani, Dani… O que eu posso dizer dos teus textos? São sempre todos maravilhosos e de um encanto indescritível.

  4. Dani, acho que já estamos merecendo ver seus textos publicados em um livro. Nada mais gostoso do que o toque da folha para sentir o que você consegue traduzir em palavras.

  5. Que texto sincero Dani! Muito lindo,muito apaixonante,muito real. Parabéns *-*

  6. Own… que lindo! Obrigada pela sensibilidade ao ler, Ana!

  7. Que texto linda Daniela!
    Cada vez me encanto mais ao ler o que tu escreves! Parabéns.

  8. Meu sonho é morar no abraço dele, seria perfeito.
    Você descreveu algo que ando sentindo. Aquilo que não sabemos explicar ou descrever, mas que sentimos fortemente.
    E não paramos de pensar nem por um segundo.
    Lindo texto!

  9. Adorei a última frase: “eu não sei o que fazer com você em mim”.
    Naquele mundo que as palavras não servem para nada acho que o drama é sempre esse não é mesmo?

  10. Adorei a última frase: “eu não sei o que fazer com você em mim”.
    Naquele mundo que as palavras não servem para nada acho que o drama é sempre esse não é mesmo?

  11. Tão eu que quase acreditei que vc entrou na minha cabeça, Dani.

  12. Impecáveis escritos Daniela! Hoje estava perdido em meio a tantas coisas e me encontrei, feliz, em seu texto! Muito obrigado…quanta singeleza nas palavras e, ao mesmo tempo, uma arrebatadora emoção…coisa linda de se ler, pensar e sentir…perdoe-me se ponderar uma aproximação te ofende, mas ao ler seus textos por aqui senti o mesmo prazer que sinto ao ler Clarice Lispector…com certeza você é ela são pérolas de diferentes épocas! Grato por tal presente…

    • Saulo, creio que não pode imaginar o quão feliz me fez com suas palavras. Obrigada por me ler e, sobretudo, por me sentir. Isso é lindo. E quanto à comparação, jamais me ofenderia por dizer que causei em ti o mesmo prazer que tens ao ler Lispector. Justo ela, que lê almas como ninguém de uma forma ímpar. Fiquei lisonjeada e muito, muito contente. Muito obrigada, de coração.

  13. corrigindo: “você e ela são pérolas…”

Deixe uma resposta

Text formatting is available via select HTML. <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*