É de manhã.

Acordo.

Olho pela janela o verde que me envolve. 

Respiro profundamente…

.

.

.

Atravesso a rua e nos cruzamos. 

Trocamos olhares.

Nos apaixonamos no mesmo instante.

Um beijo, abraços longos e suspiros trocados.

.

.

.

No altar, digo sim a mim mesmo.

Sacramento nosso amor em beijos e afagos de carinho.

Você me retribui com o sorriso da vida que temos.

Valsa no salão da vida.

.

.

.

Eles nascem.

Cada um do seu jeito.

Crescem rápidos.

O outro já é adulto.

.

.

.

Meus olhos ficam vermelhos ao ver nossos netos.

Estão tão crescidos.

Correm pela casa afora.

Você sorri da varanda acenando para terem cuidado.

.

.

.

A noite chega.

Olho pro lado e aguardo a sua espera.

Você deita ao meu lado e aperta minha mão.

De olhos fechados, nos beijamos num único suspiro.

.

.

.

Adormeço na esperança do outro dia.

O próximo irei viver tão intensamente quanto o dia de hoje.

E quem sabe, finalmente irei te encontrar?

Abraço a sina que me segue.

.

.

.

É de manhã.

Acordo.

Olho pela janela o verde que me cerca. 

Respiro profundamente…

Quando o sino soou pela penúltima vez, eu sabia que era hora de me despedir: expirei às 18h01 de uma tarde gelada de quarta-feira, enquanto as nuvens encobriam o pôr-do-sol no horizonte da janela do meu quarto.

Não posso me queixar, nem teria a quem,… Leia Mais…

Eu queria ser poeta
escrever vontades
falar só de coisas que já senti
não inventar verdades.

Eu queria fazer rimas
juntar palavras que não combinam
tirar da sua boca uma frase-sorriso
fazer mágica com papel.

Eu queria cantar versos
mexer em corações com os dedos
colocar som de estrelas nos seus sonhos
borboletar seu estômago.

Eu… Leia Mais…

Não voltam

mais o desrespeito

disparado, o descaso

arremessado, o silêncio

atirado (em vão).

Não volta

o tempo que se foi

feliz, não

volta o choro,

nem o vinho

derramado, não

volta a sola do

sapato, não

volta o primeiro

encontro

nem o último

adeus.

Não

volta aquela

saudade afogada

em álcool

e lágrimas e mar,

nem a chance que

você perdeu

porque estava muito

ocupado escrevendo

um poema

ridículo

a alguém

ridículo

que… Leia Mais…

 

Tomar banho. Escovar os dentes. A padaria da esquina abrindo pontualmente às 6. Correr no calçadão. Cafeína com pão na chapa. Todas as rotinas da manhã. Mas ultimamente, a minha consiste em vir aqui, esperando que essa mulher faça o que eu não consegui. 

(ouve-se… Leia Mais…

Como pode algo que saiu de mim não ser eu mesma? Não aceito. Pois é meu, sou eu, sim. E se não é assim, tá errado, devia ser. A carne nos enlaça, o gene nos une. Vejo o mundo por seus olhos e é tudo… Leia Mais…