Tentei medir com
uma régua
pesar na balança
análisar com os mais
modernos instrumentos de voo:
sem sucesso.
 
Tentei desenhar com
esquadro e compasso
e à mão livre;
tentei escrever com letra cursiva
e me valendo da datilografia;
testei até o mais novo app
de ditado do iPhone:
nada funcionou.
 
Tentei explicar pela
lógica e determinar
através da filosofia;
usei sociologia, história
astronomia e astrologia
todas as ciências
e não ciências humanas:
falhei ainda melhor.
 
Percebi depois que
também não
adianta dizer que
não adianta,
falar que é impossível
medir
expressar
qualificar
e que devemos
desistir e
apenas sentir
apenas viver
como se
sentir e viver
fosse pouco;
mas seja
pouco ou muito
o fato permanece:
não há símbolo
que o represente
não há palavra
em língua alguma
real ou inventada
que o comporte.
Mas há aqueles que
o representam
o suportam
os que insistem
sentem
vivem
tentam
falham e falham
de novo
e mais uma vez
tentando traduzir
o inefável
porque sabem:
naquilo que é mais
humano
só o que escapa
fica.
 
Carina Destempero

Sento-me à mesa de jantar sem fome, com a família toda à volta, entretida com os acontecimentos do dia. Mas apesar da conversa alta e do riso solto, sinto-me sozinho. Quando chega essa data, a saudade dele parece limpar-me de sentimentos indesejáveis que carrego,… Leia Mais…

Um beijo
É a forma mais eficaz de medir a distância entre duas pessoas
(Régua das almas)

Um beijo
É aquilo que escreve um quase-encontro entre dois faltantes
(Datilografia da existência)

Um beijo 
é aquilo que arrasta um para o outro e o outro para o um
(Imã de corpos)

Mas
o que não… Leia Mais…

O desafio literário da semana é de Carina Destempero:

Escrever um texto sobre amor sem usar as palavras amor e amo, e usando as palavras datilografia e régua.

 


Textos publicados para este desafio:

24/04 - Beijo
25/04 - Não consigo me decidir se isso é ou não é uma história
26/04 - O que resta da palavra sem as letras

foi bom te ver. eu queria muito ter dito isso. mas ao vê-la de corpo inteiro, usando óculos wood, keds vermelho e sorrindo seu sorriso de encanto… paralisei. na verdade, o mundo parou. o tempo retroagiu. a felicidade sorriu e você me viu. não… Leia Mais…

Quando o avião pousou, ela pegou o taxi direto pra Av. Paulista. Não tinha avisado ninguém e não sabia ainda o que iria fazer. Pensou durante toda a viagem, tentando achar um motivo que não fosse maluco, dessa sua volta repentina. Olhou pro Conjunto… Leia Mais…