Ao reparar naquele menino na ponta dos pés, na quina do banco, espichado para tentar ver as meninas tomando banho, por cima da mureta que separava o vestiário masculino do feminino, Don J terminou de urinar, se aproximou e deu um susto nele, cutucando-o com a bengala.

Para observar as meninas sem que elas notem sua presença, aconselhou Don J, você não precisa arriscar levar um tombo: basta se tornar invisível.

Mas isto é impossível, comentou o garoto, saltando do banco, decepcionado.

Impossível?, riu o velho sedutor, venha comigo.

Quando saíram do vestiário Don J contou: Quando eu tinha sua idade, meu sonho era como o seu: ser invisível. Queria entrar sorrateiramente nos quartos das meninas e me postar atrás dos biombos, observando a troca de roupa delas naquele lugar privilegiado. Esta ideia, por sinal, durou muitos anos. Só me abandonou quando cheguei à adolescência e descobri que não necessitava da invisibilidade para vê-las sem roupa: um pouco de empenho, usando as palavras certas, e elas já estavam ali, na minha frente, completamente despidas. Don J se aproximou do garoto e falou baixo, como quem conta um segredo: para tornar-se invisível, um homem deve fazer como o arqueiro zen: só quando você esquece que está libertando a flecha do arco é que ela atinge o centro alvo: é por isso que hoje, graças a anos de prática, sou capaz de atingir a mais completa invisibilidade.

O menino disse “Duvido” e Don J o levou até um banco de praça: Permanecerei sentado aqui e você aí, do outro lado. Agora está vendo aquelas meninas se aproximando? Permanecerei em silêncio e repare como elas serão incapazes de me ver.

Quando as meninas passaram, o garoto falou, impressionado: Incrível! De fato, todas perceberam minha presença e nenhuma sequer olhou para o senhor! Me ensine a ser invisível, por favor!

Como eu disse, o truque é ter paciência. Você ainda vai chegar lá, fique tranqüilo. É preciso, entretanto, nem lembrar mais do objetivo inicial. Veja meu caso: só quando meus cabelos começaram a rarear, há alguns anos, descobri que meu desejo de infância estava se tornando real: de vez em quando eu passava por um grupo de mulheres e quase nenhuma reparava na minha presença. Mais alguns anos e minha invisibilidade se aperfeiçoou: eu chegava numa festa e nenhuma, absolutamente nenhuma mulher reparava na minha presença.

Até que finalmente consegui: hoje sou um homem invisível. E tudo que eu queria era ser como você, um garoto com olhos tristes que em breve será um homem feliz, que não precisará desprezar a visibilidade para observar todas as mulheres tirando a roupa ao perceberem sua presença.

 

— Você é feliz?

As vozes se calaram e milhares de pensamentos invadiam sua mente enquanto ela buscava uma resposta para aquela pergunta da qual sempre fugira — talvez por não saber o que dizer, talvez por medo de confessar que não. “Mas o que… Leia Mais…

Cerca, 
Sala, 
Sofá, 
Portão,
Piso no quarto, 
Segredos ditos diante da mata.

Aquecedor,
Janelas,
Estante ,
Mesa,
Fogão,
Sorrisos estampados em porta-retratos.

Cuidado,
Carrinhos,
Caixa de areia,
Balanço,
Trator,
A gargalhada preenchendo o espaço.

Skype,
Twitter,
Cerveja,
Vinis,
Cama no chão,
O som do violão diante da mata.

Nós,
Nós, 
Nós,
Nós,
Felicidade!,
Tijolos e cimento transformado em lar.

Talvez eu deva te soltar, desamarrar a mão esquerda da torneira, soltar a mão direita da barra de segurança, ou talvez eu possa só desobstruir o ralo e desligar o chuveiro, assim a água eventualmente vai descer, afinal tudo passa, tudo anda, tudo muda, e quem… Leia Mais…

Entre uma poça d’água desviada com sucesso e um jato d´água que surgia de um paralelepípedo solto lavando seu all star com água suja, a menina amaldiçoava o tempo, a previsão do tempo, a pessoa que fez a previsão do tempo, a máquina de fazer previsão… Leia Mais…

O rapaz achava engraçado aquele senhor treinando caligrafia, mas escutava: É  preciso muita dedicação – seduzir não é diferente – e empenho, letras arredondadas como o corpo feminino e algumas voltas sutis ao final de cada traço, sem esquecer que, assim como no amor,… Leia Mais…