Você olha tudo e nada.

E não me vê? Tem dias que fico te furtando com o olhar, desejando que fizesse o mesmo comigo. Essa sua mania de enrolar os cachos com o dedo enquanto lê ou escreve ou faz alguma outra coisa qualquer me encanta. Seu olhar perdido me faz querer te encontrar e te levar para um lugar que seria só nosso. O que devo fazer para que me olhe, me perceba, me enrole a ti assim como faz com os cabelos? Queria tanto poder te ver chegar, sorrir, me olhar. Você olha tudo e nada. E não me vê. Se ao menos eu pudesse chamar a sua atenção… Vejo-te agora concentrada, em que estaria pensando? Um soluço meu e você olha pra mim? Não olha, não percebe, não vê. E eu aqui, louco para decifrar os mistérios desses seus olhos profundos, querendo saber o que esconde dentro desses cachos, imaginando a todo instante o que guardam esses lábios sempre tão distantes dos meus. Crio cenários, invento diálogos impossíveis, imagino histórias para nós dois. Um mundo distante. E nada acontece.

Eu olho tudo e nada e só vejo você. 

Daniela Lusa

Mesmo aqui, na terra onde sou amigo do rei, me sinto só. Um expatriado de você. Sonho em um dia poder voltar a passear pelos seus caminhos. Vendo seu sorriso alvo me iluminar. Canções em glória ao regresso do filho exilado, seriam cantadas por… Leia Mais…

Encaracolado

29 de outubro de 2014 - Sem categoria

 

Não sei se é porque você nasceu na praia,

se é porque cresceu perto do mar,

ou se é só mais um jeito que o seu corpo encontra pra me seduzir (até as suas células mortas fazem de mim um homem vivo).

 

Sei que há caracóis nos… Leia Mais…

a tarde caía serena ritmada pelo leve marulho vindo do mar ao longe, gaivotas ora voando ora pescando. a rede balouçando sem ninguém, apenas o vento. da varanda eu avistava tudo isso mais a saudade. desde que você se foi, meus poentes viraram orações…. Leia Mais…

Ela desenhava o contorno do rosto dele com os dedos, que em seguida deslizavam sobre o couro cabeludo, traçando uma linha imaginária como a que separa sonho de realidade,

            Estávamos no avião, mas o avião era diferente, tinha uma pista de dança no meio,… Leia Mais…

ELEITOS (Marcos Bassini)

25 de outubro de 2014 - Sem categoria

ELEIÇÃO

 

Antigamente, aqui na roça, a gente votava bem diferente de hoje em dia. A gente votava em dentadura, camiseta, chinela. A gente votava em quem mandavam a gente votar, em quem levasse a gente de caminhão, em quem preenchesse a cédula por nós. Antigamente… Leia Mais…